Aos casais que contraíram Matrimônio em nossa igreja

Rio de Janeiro, 27 de maio de 2020. 
 
Caros amigos,
Todos os anos, nesta última semana de maio, vocês costumam receber uma carta convidando para a nossa tradicional Missa dos Casais. Como capelão, devo dizer que, desde que assumi, em 1º de fevereiro de 1995, esta tem sido uma de minhas maiores alegrias: uma data esperada com alguns reencontros. Conheço casais, morando fora da cidade que vêm todos os anos; trazem crianças — alguns já menos crianças — que eu batizei, falam de suas vidas, alegrias, mas também tristezas. 
A nossa Imperial Irmandade de Nossa Senhora da Glória do Outeiro pára tudo em função dessa Missa, até porque vários de nossos membros também aqui se casaram; digo que “casaram e aqui ficaram” (leiam o artigo anexo); aliás, costumam ocupar pelo menos metade de nossa Mesa Administrativa. Fica a ideia e o convite… Tradicional também são os pedidos de ingresso na Irmandade; já deixamos uns formulários prontos. 
Este ano, devido a absurda e inédita situação que estamos vivendo, não será possível nos encontramos pessoalmente. Como em tantos outros de nossos compromissos habituais, inclusive os mais queridos, teremos que fazer de outra maneira. 
Estamos nos reinventando, esta pandemia está desenvolvendo talentos, popularizando tecnologias. 
Claro, queremos que as coisas voltem ao normal e que no próximo ano tenhamos um encontro ainda mais alegre, mas, por este ano temos que nos contentar com a transmissão que estou fazendo todo Domingo às 11:30. 
Por isso, convidamos a todos para se unirem a nossa Irmandade, aos nossos amigos, na assistência pelo meu canal pessoal de YouTube ou na página de Facebook, conforme links abaixo. 
Rezaremos pelos casais, por suas famílias, pelos que partiram e por dias melhores. 
Que Deus nos abençoe. 
Comigo, como costume, assina este convite nosso Provedor. 
 
Mons. Sérgio Costa Couto 
Capelão 
 
Dr. Renato Ribeiro Abreu
Provedor 
 
No YouTube procurar por SÉRGIO COSTA COUTO < https://www.youtube.com/channel/UCgJClyW1VPPjXNl1PKw0JaQ >
 
No Facebook por Sergius Paulus
 
OBS. Como tantas outras instituições, também estamos precisando de ajuda financeira. Não é, nunca será, o centro de nossas preocupações, mas é uma necessidade; inclusive para manutenção de obras assistenciais como nosso ambulatório pediátrico.
Quem puder, pode dar uma ajuda através da conta do Banco Bradesco (237) Agência: 0814 – Conta Corrente: 43.909-6 
CNPJ: 27.003.102/0001-17. Em nome da Imperial Irmandade de Nossa Senhora da Glória do Outeiro.
 
 

Missa dos Casais no Outeiro da Glória

Mons. Sérgio Costa Couto

 

            Pelo menos desde 1968, sendo então capelão o Pe. Feliciano Rodrigues e provedor o Dr. Pedro de Alcântara Worms, segundo informações que recebi de antigos provedores e provedoras como o Dr. Silvestre Gonçalves da Silva, Dª Mariana Carlota de Oliveira Sobrinho Gomes de Amorim (viúva do Dr. André Amorim),  Dª Elza de Noronha Viegas e do Bispo-Auxiliar Dom Narbal da Costa Stencel, Capelão da Imperial Irmandade de Nossa Senhora da Glória do Outeiro desde o início da década de ’70 até 1987, quando foi nomeado bispo — todos já falecidos —, realiza­-se a cada ano, no último domingo de maio, às 11 horas, uma missa para a qual são convidados todos os casais que contraíram matrimônio em nossa igreja.

            É uma celebração belíssima, de profundo alcance pastoral, enquanto valoriza o matrimônio, mostrando a sua vivência concreta pelo testemunho de casais de diferentes idades; de fato, costumamos ter a presença de casais com cerca de 60 anos de matrimônio, ao lado de alguns de poucas semanas; o ambiente é de uma felicidade contagiante.

            Desde que assumi, há 24 anos, observando a beleza desta festa, pensei como melhorá-la; basicamente, ela precisava de uma maior divulgação, esta se limitava ao costume e a um anúncio no jornal. Eis que aqui e ali ouvia coisa do tipo: «o sr. é capelão do Outeiro da Glória? Casei-me ali.» Comecei a anotar… nomes, endereços, telefones, data de casamento… Iniciei o cadastramento em folhas soltas, guardanapos, canto de jornal ou envelope, tudo servia. Também os locais eram variados: recepções, solenidades oficiais, metrô…; muitas vezes a veste clerical, que sempre usei, serviu para a identificação e início de conversa.

            Hoje o nosso cadastro está com quase 1000 casais, se viessem todos, excederíamos em muito a capacidade de nossa pequena igreja. Já há alguns anos enviamos uma carta, assinada por mim e pelo Provedor, convidando para a Missa; mandamos para todos, mesmo para fora da cidade ou do país. Queremos que todos se sintam lembrados. Impressionam e comovem algumas reações: pessoas que se deslocam de outros estados, outras que impedidas pela distância, pela doença, ou simplesmente por outros compromissos, agradecem o convite. Viúvos (-as) que comparecem sozinhos ou acompanhados dos filhos e netos, e dizem: “foi aqui que começamos”.

Recordo-me, sempre emocionado de uma senhora: o marido morrera há 4 dias, de câncer, a nossa pequena carta, disse-nos ela, fora o seu último momento de alegria, ocasionando uma declaração de amor à esposa: “mesmo que eu não possa ir, você vai”. E ela estava ali para cumprir o prometido.

            A Missa dos Casais é uma forma da Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro cumprir sua vocação. Sim; acredito que os lugares sagrados também têm vocações. Vocações não são procuradas, “nos caem na cabeça”, estão nos planos de Deus, e não nos nossos. Os construtores de nossa igreja, no início do século XVIII, não a fizeram para cerimônias matrimoniais; simplesmente aconteceu… 

Impressiona ainda a fecundidade dessa vocação, muitos casais se ligaram realmente à igreja a partir de seu matrimônio, ingressaram na Irmandade, e alguns se dedicam a ela intensamente até hoje, formando amizades de mais de meio século.

Mons. Sergio Costa Couto

A oração mais antiga da Igreja

Conforme falado pelo Mons. Sergio na Missa de 30 de setembro de 2018, segue a oração mais antiga da Igreja.

À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó virgem gloriosa e bendita.

R. Amém

Oração de São Miguel Arcanjo

Conforme falado pelo Mons. Sergio na Missa de 30 de setembro de 2018, segue a oração de São Miguel Arcanjo.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos neste combate, sede nossa guarda contra a maldade e ciladas do demônio. Instante e humildemente pedimos que Deus sobre ele impere; e vós, príncipe da milícia celeste, com o poder divino, precipitai no inferno a Satanás e aos espíritos malignos que vagueiam pelo mundo para a perdição das almas.

R. Amém.

São Pio X pediu que se a seguinte jaculatória fosse acrescentada.

Sacratíssimo Coração de Jesus.

R. Tende misericórdia de nós.

Sacratíssimo Coração de Jesus.

R. Tende misericórdia de nós.

Sacratíssimo Coração de Jesus.

R. Tende misericórdia de nós.